Quando criança sempre gostei muito das artes marciais em geral, influenciado principalmente pelos filmes do Bruce Lee e Van Damme. logo depois claro que descobri a diferença entre os dois rsrs. Mas quando eu era criança eu não sabia a diferença.

 Apesar de eu gostar muito das artes marciais e de ficar impressionado com os movimentos e golpes que os artistas marciais eram capazes de fazer, nunca me despertou o desejo real de pratica-la, pois eu achava muito difícil e pensava que eu não seria capaz de realizar tais proezas.

 Até que um dia aos meus 21 anos de idade, um amigo meu chamado Juliano, praticante de capoeira, me convidou para fazer uma aula experimental de Muay Thai. Mesmo não sabendo como era essa arte marcial, aceitei o convite e fui fazer a aula.

 Ja na primeira aula me apaixonei pelo esporte. Descobri que para ser um bom lutador eu não precisaria saber dar um mortal, ou ter uma impulsão gigante ou algo do gênero.

 Muay Thai, uma arte marcial simples e uma das mais eficientes. qualquer pessoa pode pratica-la.

 Ao longo da minha carreira tive a oportunidade e a honra de poder lutar grandes eventos de luta em pé. Disputei e venci grandes torneios, como o k-1 Beast Japan, K-1 Word GP Turkia, etc.

 Comecei a lutar MMA em meados de 2007. mas somente em 2009 que passei a me dedicar 100% ao MMA. antes disso eu ainda tentava conciliar com as lutas de Muay Thai. Estou apenas a 3 anos nesse novo ramo que é muito mais complexo que o Muay Thai. Estou tendo que correr atras para aprender as outras modalidades de luta que também são utilizadas no MMA.

 O MMA mudou a minha vida positivamente no sentido de poder conhecer e praticar tantas outras grandes artes marciais como o Jiu Jitsu, Boxe, Wrestling etc.

 O MMA também me deu uma perspectiva financeira melhor. Sendo o esporte que mais cresce no mundo terei muitas oportunidade de ter uma vida bem estável financeiramente.

 Em janeiro de 2011 me mudei para os Estados Unidos com a proposta de fazer parte de uma equipe de MMA, três meses depois minha esposa e nosso único filho Igor chegaram, com a proposta de passarmos 3 anos na América. Tudo mudou em nossas vidas quando, um mês e meio depois, Igor foi encontrado por minha esposa submerso na piscina da casa onde morávamos, entrando em coma profundo e falecendo no dia de seu aniversário, em 24 de junho do mesmo ano.

Após essa grande tragédia coloquei toda minha carreira em cheque. Pensei muito sobre  minha carreira, sobre toda minha vida. Cheguei a conclusão que eu não poderia desistir. eu precisava continuar tentando. Porque toda minha batalha, todas as dificuldades de sacrifícios que eu e minha família fizemos, foi para dar uma vida melhor para nosso filho Igor. Não posso desistir porque senão tudo terá sido em vão. Então decidi transformar todo o meu sofrimento em combustível, em motivação para vencer! Me tornar o melhor lutador que eu poderia ser.

Esse acontecimento paralisou minha carreira por exatos 6 meses, quando voltei ao Brasil e fui convidado por Rodrigo Minotauro a integrar a tropa de elite da Team Nogueira. Realizei minha primeira luta após a perda de Igor em março de 2012 com vitória por finalização no primeiro round, em maio do mesmo ano fiz a segunda luta vencendo por nocaute também no primeiro round.

 Dia 21 de junho de 2012 (1 ano após perdermos nosso filho) Minha esposa Paula descobriu que estava grávida. A partir desse momento descobrimos uma nova razão para sermos felizes.

 Por isso continuo treinando com muito afinco e melhorando cada vez mais como pessoa e como lutador.